Após 15 meses, nova operação é lançada; UMP passa por mudanças

 Precisamos de Programadores e Designers!
  • Se você possui interesse em fazer parte da nossa equipe, envie um email para "contato@bigcs.com.br", ou utilize o formulário nosso formulário de contato.

Nova operação vai até setembro e custa R$ 18,49

Depois de 15 meses de espera e reclamações, a Valve finalmente premiou os fãs de Counter-Strike: Global Offensive com uma nova operação. Lançada na noite desta terça-feira (23), a atualização trouxe a Operação Hydra e também uma mudança na UMP-45, arma considerada “desequilibrada” por boa parte da comunidade competitiva.

A Operação Hydra é a primeira operação lançada pela Valve desde a Wildfire, que foi ao ar em fevereiro de 2016. De lá para cá, muitos jogadores questionaram a empresa nos fóruns e nas redes sociais sobre uma nova operação, mas sem resposta.

A operação vai até setembro e pode ser adquirida por R$ 18,49.

Com a chegada da Operação Hydra, a espera parece ter sido justificada. Além das tradicionais missões, mapas e skins que uma nova operação traz, a Hydra também tem novas funcionalidades, como os Wargames e outros novos modos de jogo.

Os Wargames, que tem seu próprio nível de patentes, reúnem modos clássicos de servidores de mata-mata da comunidade: apenas headshots, só faca e Zeus, e um apenas com facas e snipers, esse tendo a acurácia das armas aumentada e a gravidade do servidor diminuída. Além disso, os Wargames também contarão com outros modos: um jogo casual de desarmar a bomba, porém com a possibilidade compra de um traje mais resistente, um modo de coletar dogtags e um de “disciplina de mira”.

Fora dos Wargames, também será possível jogar dois novos modos, um 2 contra 2 em mapas onde só há um bomb site, e outro de 5 contra 5 onde só será possível comprar determinada arma uma vez.

Além das novidades, a Hydra traz também as tradicionais mudanças de uma operação: nova caixa, novas missões e sete mapas.

Mudanças na UMP

Uma das armas mais utilizadas no cenário competitivo, a UMP-45 passou por mudanças. A submetralhadora, escolha quase unânime nos “forçados” e até mesmo em alguns rounds “armados” dos campeonatos, teve seu dano em longa distância reduzido de .85 para .75.

Segundo Nicholas “SlothSquadron” Crew, um modder conhecido na comunidade por seu trabalho com balanceamento de armas, em uma distância de 500 unidades (2 segundos de corrida com a faca na mão), a arma pede 25% de dano, ao contrário dos 15% de antigamente.

Além disso, a atualização também trouxe ajustes na jogabilidade, correção de bugs e pequenas mudanças no mapa Canals. Você pode ler as notas da atualização completas, em inglês, clicando aqui.

Seu e-mail nunca é publicado ou compartilhado. Os campos obrigatórios estão marcados com *